Sociedade

Oliveira com mais de dois mil anos cortada para lenha em Alcobaça

População indignada com destino da árvore, que foi transplantada em 2012 para ser vendida para o Dubai.

DR
DR
Facebook João Moreira

Uma oliveira com mais de dois mil anos terá sido cortada e transformada em lenha em Chão do Galego, uma pequena aldeia da freguesia de Turquel, concelho de Alcobaça. Depois de ter sido mudada de local, a árvore estaria quase seca, mas não totalmente perdida.

A notícia começou a ser partilhada em grupos e páginas de Facebook ligadas a Alcobaça, surpreendendo muitas pessoas que conheciam a oliveira e recordavam histórias de infância passadas no local. O autor da publicação inicial afirma que a árvore teria sido datada pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, avançando que a sua idade era superior a três mil anos.

A única árvore em Portugal reconhecida oficialmente como tendo mais de três mil anos é uma oliveira que existe em Mouriscas, concelho de Abrantes. Com 3.350 anos, a ‘oliveira do Mouchão’ é um chamariz para aquela povoação. Muitos comentários relativamente ao corte da árvore de Alcobaça lamentam o facto de não ter sido também protegida e divulgada.

A oliveira de Chão do Galego, com cerca de 4 metros de diâmetro no tronco, teria sido retirada do seu local em 2012 para uma espécie de vaso com 7 metros, para posterior venda para o Dubai. O negócio acabou por não se concretizar e a oliveira perdeu algum do seu fulgor devido à mudança e aos verões quentes dos últimos anos. Desconhece-se se o dono do terreno tentou outra solução para a árvore antes de a mandar cortar e transformar em lenha no final de novembro.