Internacional

Destroços de avião chileno desaparecido na segunda-feira encontrados na América do Sul

Além dos destroços, também foram encontrados restos mortais de algumas das 38 pessoas que seguiam a bordo do avião.


Os destroços do avião militar chileno que tinha desaparecido quando se dirigia para a Antártida, esta segunda-feira, foram encontrados, esta quinta-feira, pelas equipas de buscas, a 30 quilómetros do local onde os pilotos tinham feito o último contacto, na América do Sul. Além dos destroços, também foram encontrados restos mortais de algumas das 38 pessoas que seguiam a bordo do avião.

O general da Força Aérea Arturo Merino afirmou, durante uma conferência de imprensa, que acredita ser "praticamente impossível" encontrar alguém vivo, citado pelo New York Times. "Sinto imensa pena por esta perda de vidas", lamentou. 

A maioria dos passageiros pertencia à força aérea, mas também existiam três pessoas a bordo, do exército, duas de uma empresa de construção privada e uma funcionário de uma universidade chilena.

Uma equipa internacional de busca e salvamento irá continuar as buscas e uma equipa irá ficar encarregue de realizar os testes de ADN aos corpos encontrados para identificar as vítimas do acidente. 

O ministro da Defesa do Chile já agredeceu publicamente a ajuda internacional, que incluiu 23 aeronaves e dezenas de navios enviados por Argentina, Brasil, EUA, Reino Unido e Uruguai, que se juntaram aos meios chilenos para tentar encontrar o avião.