Sociedade

Deep Money: 11 suspeitos detidos pela Europol depois de operação da PJ

Foram realizadas um total de 36 buscas domiciliárias, identificados e interrogados 44 suspeitos, 11 dos quais acabaram por ser detidos, tendo sido apreendidas notas falsas, armas, drogas, documentos falsos e moedas virtuais, bem como substâncias dopantes.


Uma das maiores redes de confração de moeda da Europa foi desmantelada pela Polícia Judiciária (PJ) numa operação intitulada Deep Money – Fase 2, coordenada pela Europol, entre os dias 9 e 11 de dezembro, e que originou a detenção de 11 suspeitos. 

“Após uma análise dos elementos probatórios recolhidos pela Polícia Judiciária, foi possível identificar diversas transações de moeda falsa, informação que foi comunicada à Europol e, posteriormente, por esta otimizada e disseminada por todos os países afetados”, pode ler-se no comunicado enviado às redações pela autoridade.

Foram realizadas um total de 36 buscas domiciliárias, identificados e interrogados 44 suspeitos, 11 dos quais acabaram por ser detidos, tendo sido apreendidas notas falsas, armas, drogas, documentos falsos e moedas virtuais, bem como substâncias dopantes.

Também na Alemanha, país onde foram realizadas 27 buscas domiciliárias, foi desmantelada uma rede que produzia documentos falsos.

Já em setembro, na fase 1 da operação, foram detidas cinco pessoas e apreeendidas mais de 1800 notas falsas de 50 e 10 euros. Dos detidos fazem parte cidadãos portugueses e franceses.

Segundo as autoridades, o cabecilha da rede é um português de 35 anos, que foi detido na Colômbia, no mês de agosto, e posteriormente entregue à PJ em Portugal.