Desporto

Frederico Varandas: "As pessoas que estiveram aqui ontem têm nome: escumalha"

O presidente do Sporting comentou os incidentes que ocorreram no domingo, à chegada da equipa aos Açores

 

Frederico Varandas reagiu esta segunda-feira aos gritos que adeptos afetos às claques entoaram quando a equipa chegou a Ponta Delgada, Açores, onde irá defrontar hoje o Santa Clara, referente à jornada 14 da Liga portuguesa.

"Infelizmente ontem tivemos um episódio muito grave, mais do que grave chocante. Chocante porque as pessoas que estiveram aqui têm nome. Bem sei que neste pais há medo de chamar as coisas pelo nome, mas as pessoas que fizeram isto são uma escumalha. Só querem que o Sporting perca sempre e que o tempo volta para trás", afirmou o presidente leonino.

"Alcochete foi só há um ano e meio e ainda esta muito presente quer no clube quer nos atletas. A mim pessoalmente impressionou-me o que jogadores de futebol, como o Mathieu dizer o que disse, que se encontra traumatizado. Que jogadores como o Ristovski digam que sentem ansiedade de perder um jogo, que aquilo volte a acontecer. Eles sabem disso, eles querem que o Sporting perca", continuou.

"Isto afeta a equipa, em todos os jogos, e eles sabem que isto afeta, porque o querem é que o Sporting perca. Esse ataque a Alcochete não está marcado só nos jogadores, ainda está no clube. Nesse dia, o Sporting perdeu, entre rescisões e vendas com a corda na garganta, cinco jogadores dos mais valiosos do plantel e dezenas e dezenas de milhões de euros. Vou repetir: dezenas e dezenas de milhões de euros. Este desastre desportivo e finaceiro, mataria muitos clubes. E hoje ainda estamos frágeis e a reerguermo-nos do que aconteceu nesse dia", frisou.

O Sporting entra esta noite em ação, ante o Santa Clara (15.o classificado).

O conjunto leonino tem a oportunidade de se isolar no terceiro lugar do campeonato, depois do triunfo dos comandados de Bruno Lage sobre o Famalicão, a equipa-sensação da Liga.

Atualmente no 4.o lugar, com menos um ponto do que o Famalicão, os leões podem aproveitar para chegarem ao último lugar do pódio e, em caso de triunfo, voltarem a colocarem-se a 13 pontos do clube da Luz. Apesar da distância para o topo da tabela, Silas recorda que a prova está longe de estar decidida. 

“A nossa temporada não está acabada. Em sete jornadas passámos do nono para o quarto lugar... quem acha que, faltando 63 pontos, já está tudo decidido em termos de Liga, se calhar anda distraído”, disse este domingo o técnico leonino.