Internacional

Morreu o líder de facto da Argélia, o general Gaid Salah

A morte de Salah ocorre num momento em que a Argélia vive uma intensa crise política, com os protestos em massa a decorrerem desde fevereiro e a reivindicarem uma reforma do sistema político do país.


O chefe do Exército e líder de facto da Argélia, o general Ahmed Gaid Salah, 79 anos, morreu esta segunda-feira, vítima de um ataque de coração. Salah teve um papel determinante na demissão do longo líder do país, o ex-Presidente Abdelaziz Bouteflika, e na posterior convocação de eleições, que decorreram no passado dia 12 de dezembro e elegeram Abdelmadjid Tebboune.

A morte de Salah ocorre num momento em que a Argélia vive uma intensa crise política, com os protestos em massa a decorrerem desde fevereiro e a reivindicarem uma reforma do sistema político do país, que é controlado por um misto de elites empresariais, políticas e militares. As eleições do início do mês foram contestadas por grande parte do movimento de oposição, que não as viu como legítimas.

O novo Presidente Abdelmadjid Tebboune declarou uma semana de luto, sinalizando a importância de Salah. Tebboune anunciou também o novo chefe do Exército, o general Said Chengriha.