Sociedade

Ricardo Araújo Pereira abandona TVI e regressa à SIC

“Fiquei muito contente com o convite, que demonstra claramente que, quando uma estação é líder, pode dar-se ao luxo de começar a tomar decisões um bocado absurdas”, disse o humorista. 

Ricardo Araújo Pereira é a mais recente contratação SIC, anunciou a estação televisiva, esta sexta-feira. Segundo o canal, o humorista irá fazer parte do painel de análise política do “Governo de Sombra”, juntamente com Pedro Mexia, João Miguel Tavares e com a moderação de Carlos Vaz Marques, que estreia no dia 10 de janeiro.

“Esta contratação enquadra-se na estratégia da SIC para o desenvolvimento criativo de conteúdos inovadores e capazes de chegar a diferentes públicos nas diversas plataformas disponíveis, desde o canal generalista, aos temáticos e à área digital”, pode ler-se no comunicado enviado às redações.

“O Ricardo Araújo Pereira, pelas suas notáveis e especiais qualidades, torna a nossa equipa ainda mais valiosa. Este seu regresso a uma casa que é também a sua, onde despontou como humorista e tem um histórico de sucesso memorável, será bastante estimulante para o público. Vamos aumentar a nossa capacidade de produzir mais conteúdos de humor nos diferentes formatos que o género permite, o que é muito desafiante para quem cria e amplia a nossa visibilidade junto de um espectro alargado do auditório”, sublinha Daniel Oliveira, Diretor Geral de Entretenimento da IMPRESA.

Recorde-se que foi na SIC que o humorista ganhou mais popularidade, em 2003, com o programa Gato Fedorento. E Ricardo Araújo Pereira parece satisfeito com a saída da TVI e regresso à SIC. Com o seu toque de humor, Ricardo afirma “que sempre quis conhecer as Laveiras e nunca se proporcionou. Não é segredo para ninguém que se trata de uma das mais belas localidades da União de Freguesias de Oeiras e São Julião da Barra, Paço de Arcos e Caxias”, pode ler-se na nota da SIC. “Fiquei muito contente com o convite, que demonstra claramente que, quando uma estação é líder, pode dar-se ao luxo de começar a tomar decisões um bocado absurdas”, acrescentou o humorista.