Sociedade

Gelson Martins diz ter recebido uma mensagem sobre o ataque à Academia antes da invasão

O jogador sublinha ainda ter sido "protegido" por um dos agressores, que lhe disse para não ter medo e que não lhe ia acontecer nada.

Gelson Martins foi ouvido no âmbito do caso Alcochete, esta sexta-feira, através de uma videoconferência. O antigo jogador do Sporting disse ter recebido uma mensagem no telemóvel, de um amigo seu, a avisá-lo sobre o ataque à academia.

"Recebi a mensagem a avisar que estavam a invadir a academia, mas, como não estamos sempre com o telemóvel, só a vi depois. Era de um amigo que passou junto da academia e viu o grupo de adeptos a aproximar-se”, disse o jogador, ouvido esta sexta-feira, por Skype, na 22.ª sessão do julgamento. "Estão a chegar para fazer m****", avisou o amigo de Gelson Martins, segundo o Correio da Manhã. 

Apesar de ser ter mostrado reticente em expor o amigo, o jogador que alinha nos franceses do Mónaco, acabou por fazê-lo a pedido da juíza.

Gelson Martins diz ter sentido bastante "medo" e que depois do ataque "nunca andava sozinho na rua". "Tive medo, paralisei perante a situação. Foi uma situação mesmo muito difícil, e acho que até hoje ainda sinto alguma dificuldade em lidar com isso, foi muito difícil para mim e para a minha família”, referiu.

O jogador sublinha ainda ter sido "protegido" por um dos agressores que lhe disse para não ter medo, que não lhe ia acontecer nada."Quando estavam a bater no Acuña, estava um rapaz à minha frente, que não fez nada, e disse-me para eu ficar ao pé dele que não me ia acontecer nada. Como tinham todos a cara tapada não o reconheci”, disse.

Apesar de não poder confirmar a 100%, Gelson Martins diz conhecer o arguido Domingos Monteiro, que é "amigo da namorada" e acredita que este tenha sido quem o protegeu.