Sociedade

Português retido no cruzeiro devido a coronavírus está “pior”

"A situação dele é pior. Tem mais febre, frio, dor e está mais abatido".

 

O estado de saúde do português infetado com o novo coronavírus, retido no navio Diamond Princess no Japão, piorou. A mulher de Adriano Maranhão diz que o mardio ainda não obteve qualquer ajuda das autoridades.

"A situação dele é pior. Tem mais febre, frio, dor e está mais abatido", disse Emmanuelle Maranhão, em declarações à Lusa.

A embaixada portuguesa no Japão garantiu que iria levar Adriano Maranhão para o hospital, mas apesar disso ainda não o fez, sublinhou a mulher, criticando a inação da diplomacia.

Emmanuelle Maranhão adiantou ainda à agência Lusa que não consegue estabelecer contacto com a empresa do cruzeiro, a Princess Cruise, que seria a primeira responsável por retirar os seus funcionários, como Adriano Maranhão, do navio.

A mulher publicou ainda um texto no Facebook onde é visível o seu desespero e onde implora por ajuda para o marido.

Recorde-se que no sábado, as autoridades japonesas confirmaram que o português, canalizador no navio Diamond Princess, atracado no porto de Yokohama, acusou positivo nos testes ao coronavírus Covid-19, avançou fonte oficial do Ministério dos Negócios Estrangeiros.