Cultura

Covid-19. Bienal de Arquitetura de Veneza adiada

A inauguração da Bienal de Arquitetura de Veneza foi adiada devido ao coronavírus e vai abrir portas apenas no final de agosto.

A Bienal de Arquitetura de Veneza deveria abrir portas em maio, mas devido ao surto de Covid-19 a inauguração foi adiada para agosto. A organização da 17.ª edição do certame, uma das maiores exposições de arquitetura do mundo que junta profissionais de mais de 60 países, referiu ontem que de momento não há condições para manter as datas inicialmente previstas, dado o crescente número de infetados pelo coronavírus em Itália.

A organização indicou entretanto que a Bienal vai realizar-se entre 29 de agosto e 29 de novembro, o que fará com que o início da mostra coincida praticamente com a inauguração do Festival de Cinema de Veneza, marcada para dia 2 de setembro. “A Bienal oferecerá a Veneza e ao mundo, no final do verão, um período de grande interesse cultural e apelo internacional”, promete a organização.

Este ano, a mostra de arquitetura pretende responder à questão “Como vamos viver juntos?”, sendo que os participantes deverão explorar “o papel negligenciado do arquiteto enquanto promotor civilizado e protetor do contrato espacial”, como se lê na página oficial da exposição.

Portugal vai estar presente nesta edição através do trabalho do coletivo de arquitetos depA, do Porto, que irá apresentar um projeto intitulado “In Conflict”. Na ultima edição, que se realizou em 2018, Souto de Moura foi premiado com o Leão de Ouro para o melhor participante individual na Bienal de Arquitetura de Veneza, depois de ter apresentado uma exposição sobre a recuperação arquitetónica realizada em São Lourenço do Barrocal, um monte alentejano nos arredores de Monsaraz.

A Bienal de Arquitetura de Veneza não é a primeira ‘vítima’ do Covid-19 em solo italiano. Depois de a semana de Moda de Milão ter sido cancelada, também a Feira do Livro Infantil de Bolonha, o maior e mais relevante certamente dedicado à literatura e ilustração pensada para as crianças, foi reagendada. A 57.ª edição da feira estava marcada de 30 de março a 2 de abril, mas irá afinal realizar-se de 4 a 7 de maio, devido “à emergência do vírus Covid-19”.