Economia

Crise vale 25 milhões de empregos

Consequências da pandemia da covid-19 causam apreensão. Contas da OIT apontam para perdas até 3,4 biliões de dólares em 2020.

A Organização Internacional do Trabalho (OIT) prevê a perda de até 25 milhões de postos de trabalho em todo o mundo, na sequência da crise provocada pela pandemia de covid-19. Com base em diferentes cenários para o impacto no crescimento do PIB global, as estimativas da agência da ONU indicam um aumento do desemprego global entre os 5,3 milhões (num cenário «baixo») e 24,7 milhões (cenário «alto»).

As quedas no emprego vão necessariamente significar perdas de rendimento para os trabalhadores. O estudo da OIT prevê que essas perdas se situem entre os 860 mil milhões e 3,4 biliões de dólares até ao final de 2020. Estima-se também que a pobreza no trabalho aumente de forma significativa: entre 8,8 milhões e 35 milhões de pessoas vão passar a trabalhar em situação de pobreza em todo o mundo, quando a estimativa anterior da OIT para 2020 apontava para uma diminuição de 14 milhões de pessoas nesta condição.

Segundo a OIT, estes impactos só podem ser mitigados caso seja adotada uma resposta coordenada a nível internacional, tal como ocorreu na crise financeira de 2008 e 2009.