Sociedade

Quatro festas realizadas na via pública no espaço de seis horas no Cacém. Três pessoas foram detidas

Na primeira festa estavam cerca de 30 jovens. Alguns dos suspeitos arremessaram pedras da calçada contra os polícias.

Dois homens e uma mulher foram detidos, no passado dia 5, no Cacém, suspeitos da prática de crime de desobediência, por violarem regras impostas pelo Governo durante o Estado de Emergência. Os jovens, com idades compreendidas entre os 20 e os 26 anos, foram notificados pelas autoridades sobre o incumprimento das normas e voltaram a comete-las. 

De acordo com um comunicado do Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, pelas 19h00, do dia 5, "os polícias depararam-se com uma festa na via pública, com cerca de 30 jovens em ajuntamento, em situação de desobediência ao dever geral de recolhimento domiciliário e a consumir bebidas alcoólicas". Cinco deles foram identificados e avisados pelas autoridades que deveriam regressar às suas residências.

No entanto, por volta das 22h15, "os mesmos polícias foram novamente acionados para uma ocorrência, da mesma índole e com o mesmo grupo de jovens, mas noutra localização". Apesar de muitos terem conseguido escapar, um dos jovens que já tinha sido notificado no mesmo dia foi intercetado pelos agentes e acabou por ser detido.

Outro dos suspeitos foi detido pelas 23h50. As autoridades foram novamente alertadas para uma festa a decorrer na via pública e tratava-se novamente do mesmo grupo de jovens. Quando viram as autoridades chegar muitos fugiram e alguns "ainda arremessaram pedras da calçada contra os polícias", de acordo com a nota das autoridades.

A mulher foi a última dos três a ser detida. Já no dia 6 de abril, pelas 02h00, as autoridades foram alertadas para o ruído que estava a ocorrer na via pública. Quando chegaram ao local, encontraram 5 indivíduos em convívio, uma violação das regras impostas pelo Estado de Emergência, uma das quais já tinha sido identificada na primeira festa em que as autoridades estiveram no dia anterior e esteve presente no incidente das 23h50, onde foram atiradas pedras aos agentes.