Desporto

Bella e Lily. Uma questão de mulheres

O fenómeno do futebol feminino na Inglaterra durante o período da I Grande Guerra é um dos episódios mais interessantes da história  do desporto. Empregadas nas fábricas de munições, as ‘Munitionettes’, encantaram de tal forma  o público que chegaram a ter assistências de mais de 50 mil pessoas por jogo.

Goodison Park, Liverpool, dia 26 de dezembro de 1920. Se alguém estava convencido de que o Boxing Day ficaria sem futebol nesse tempo duro de uma guerra sem quartel no qual uma geração de jovens rapazes trocara os relvados de Inglaterra pelas trincheiras das Ardenas, deve ter deixado cair o queixo até à zona das clavículas ao mesmo tempo que uma baba avacalhada lhe escorria pelos cantos da boca. Milhares e milhares de pessoas rodeavam o estádio do Everton exigindo, solicitando, pedindo, suplicando ou o mais que se está para saber para que as deixassem entrar. «For God’s sake!» Lá dentro, as bancadas rebentavam pelas costuras. Até havia gente pendurada nos candeeiros de rua e encavalitada nos telhados em redor. 54 mil espetadores tinham pago para assistir ao St.Ellen’s-Dick, Kerr’s Ladies, equipa vinda expressamente de Preston e trazendo consigo a cintilante estrela Lilian Parr, Lily para os íntimos. 

A I Grande Guerra mudara a face do futebol em Inglaterra. E, já agora, não simplesmente a face. O resto do corpo também. Os estádios, que se tinham enchido como ovos para oferecer ao povo espetáculos de association rijos até ao ranger dos tendões e ao estalar dos ossos, continuavam a entornar indivíduos para a rua à primeira onda de entusiasmo. As mulheres tinham entrado em campo para o lugar dos homens. Se a Football Association tinha cancelado os jogos do campeonato a partir do início de 1915 por via do conflito mundial, não impedira que as funcionárias de fábricas de munições ou de outros setores industriais se reunissem em equipas, geralmente representativas das empresas nas quais trabalhavam, e utilizassem os estádios vazios para imporem a sua vontade de praticar aquele desporto exclusivo de homens. Nunca em tempo algum se viu um fenómeno como aquele. Nem se voltou a ver.

Leia o artigo na íntegra na edição impressa do b,i.