Internacional

Bolsonaro exonera ministro da Saúde, que defendia isolamento social

Depois de várias ameaças, o Presidente brasileiro pôs fim a um braço de ferro. Luiz Henrique Mandetta, que tutelava a Saúde e tinha a aprovação da maioria dos brasileiros, foi colocado esta quinta-feira fora do Governo. O homem que se segue é o oncologista Nelson Teich.

O Presidente brasileiro decidiu hoje exonerar o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, depois de várias semanas de uma troca de palavras intensa entre ambos. 

Mandetta, que defendia o isolamento social como forma de conter a propagação do novo coronavírus, contava com um expressivo apoio da população, segundo várias sondagens feitas naquele país.

Para substitui-lo Bolsonaro escolheu agora o oncologista Nelson Teich.

Na última semana, Bolsonaro esteve prestes a demitir Mandetta, mas depois de pressionado por diversos setores, incluindo pelos militares, acabou por recuar. 

Já depois disso, Mandetta havia se queixado do posicionamento errático de Bolsonaro: “Você conversa hoje, a pessoa entende, diz que concorda, depois muda de ideia e fala tudo diferente”.

Também esta semana chegou a ser noticiada a saída de um secretário de Estado da Saúde, mas o ministro disse que esse responsável ia ficar até que saíssem juntos.