Internacional

“Sou Messias, mas não faço milagres”. Bolsonaro sobre recorde de mortes no Brasil

Chefe de Estado brasileiro desvaloriza número de óbitos e sublinha que nunca disse não haveria mortes.


As declarações do Presidente do Brasil continuam a gerar polémica.

Nas mais recentes, comentou assim o recorde de mortos diários no país: “E daí? Lamento, mas quer que eu faça o quê? Eu sou Messias, mas não faço milagres”, afirmou, fazendo referência ao seu nome completo Jair Messias Bolsonaro.

O chefe de Estado brasileiro continuou no mesmo tom desvalorizando o total de mortes de covid-19 superior a cinco mil, 474 das quais ocorreram nas últimas 24 horas. “Nunca ninguém negou que haveria mortes”, afirmou, acrescentando que “as mortes de hoje, a princípio, foram de pessoas infetadas há duas semanas. É o que eu digo para vocês: o vírus vai atingir 70% da população. Infelizmente é a realidade. Nunca ninguém negou que haveria mortes”.

Atualmente, o número de infetados confirmados no Brasil é superior a 70 mil, dos quais morreram mais de cinco mil pessoas.

Recorde-se que a gestão da pandemia naquele país já levou à demissão do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, que entretanto foi substituído por Nelson Teich, que já reconheceu haver “agravamento da situação” da covid-19.