Internacional

Obrigação de confinamento é "fascista". Elon Musk exige que “devolvam às pessoas a sua maldita liberdade"

Magnata da tecnologia critica autoridades após prolongamento das medidas restritivas na Califórnia.

O dono da Tesla não podia estar mais revoltado com o prolongamento das medidas de contenção no estado da Califórnia, nos EUA, onde fica a fábrica da Tesla, encerrada desde o dia 19 de março.

"O prolongamento do confinamento (...) aprisiona as pessoas à força contra os seus direitos constitucionais, é a minha opinião. É uma violação das liberdades individuais de uma maneira horrível e injusta", afirmou numa conferência sobre os resultados trimestrais da Tesla.

"É escandaloso! É um escândalo. Vai fazer muito mal às empresas, não apenas à Tesla", defendeu e acrescentou: "Dizer às pessoas que não podem sair das suas casas e que serão detidas caso o façam é fascista. Não é democrático. Não é liberdade. Devolvam às pessoas a sua maldita liberdade!".

A indignação do empresário foi também expressa numa série de tweets, publicados na quarta-feira.

Usando um tom crítico e acusatório, Musk exige o levantamento das medidas restritivas. "Libertem a América imediatamente!", lê-se no twitter.

Sublinhe-se que a fábrica da Tesla teve de aceitar encerrar a 19 de março, mas a sua reabertura estava prevista para 4 de maio. No entanto, após o anúncio das autoridades que decidiram prolongar o confinamento obrigatório, não se sabe quando é que a empresa voltará a abrir portas.