Economia

Confederação dos Agricultores de Portugal considera decisão da Europa "necessária" mas "insuficiente"

A Comissão Europeia permitiu que todos os Estados-Membros realizassem “a transferência de verbas do 2º pilar (Desenvolvimento Rural), para o 1º pilar (Pagamentos Diretos), na campanha de 2020, recorrendo à dotação do envelope financeiro 2021-27".

O  ministério da Agricultura afirmou, este sábado, durante uma conferência de imprensa, que a Comissão Europeia permitiu que todos os Estados-Membros realizassem “a transferência de verbas do 2º pilar (Desenvolvimento Rural), para o 1º pilar (Pagamentos Diretos), na campanha de 2020, recorrendo à dotação do envelope financeiro 2021-27”, algo que Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) já tinha defendido junto da Comissão Euripeia como uma medida "necessária" desde abril.

Numa nota enviada às redações, a  CAP mostra-se satisfeita com a decisão, apesar de a considerar "insuficiente" e apelida-a de uma "notícia positiva para a agricultura europeia em geral e para Portugal em particular, pois permite trazer liquidez financeira ao setor".

A CAP recorda que apesar da covid-19 não ter obrigado a agricultura a parar, esta "foi e está muito penalizada pela pandemia e tem visto a suas atividades comercial e exportadora fortemente comprometidas, devido a condicionamentos e constrangimentos nos mercados internacionais".