Internacional

Vice-presidente do Governo espanhol explica contágio com o facto de Madrid estar em “linha reta” com Nova Iorque

Há duas semanas outra govenante espanhola também apresentou uma justificação geográfica para explicar a diferença de números entre Portugal e Espanha. Também ela foi criticada,

A vice-presidente do Governo espanhol, Carmen Calvo, revelou, esta terça-feira, uma teoria sobre os números de infetados no país, um dos mais afetados do mundo, em especial na propagação na capital.

"Nova Iorque, Madrid, Teerão e Pequim estão quase em linha reta (...). São grandes cidades onde se deu um problema do demónio", sublinhou Carmen Calvo no Parlamento.

A declaração da governante tem sido alvo de várias críticas, principalmente nas redes sociais.

Recorde-se que já há cerca de duas semanas, uma outra governante espanhola também apresentou uma teoria, muito criticada, para explicar a diferença entre os números espanhóis e os portugueses.

“Em Portugal [o vírus] parou antes. Vinha de leste e eles estão um pouco mais a oeste e então puderam parar um pouco antes”, disse Teresa Ribera, a ministra para a Transição Ecológica e o Desafio Demográfico que ficou responsável por coordenar os trabalhos do plano de transição para uma “nova normalidade” em Espanha.