Internacional

Homem morre após ser vítima de agressão por parte de polícia norte-americano

“Durante cinco minutos vemos como um agente branco apertou o joelho no pescoço de um homem negro. Cinco minutos. Quando se ouve alguém a pedir socorro, supomos que é preciso ajudá-lo. Este agente falhou no sentido humano mais básico. O que aconteceu foi simplesmente horrível”, afirmou o presidente da Câmara de Minneapolis.

Um homem morreu, esta segunda-feira, após ter sido vítima de agressões por parte das autoridades, na cidade de Minneapolis, no estado norte-americano do Minnesota. Num vídeo que se está a tornar viral nas redes sociais pode ver-se um polícia ajoelhado em cima do pescoço do homem, enquanto este grita por ajuda e diz que não consegue respirar. 

“Durante cinco minutos vemos como um agente branco apertou o joelho no pescoço de um homem negro. Cinco minutos. Quando se ouve alguém a pedir socorro, supomos que é preciso ajudá-lo. Este agente falhou no sentido humano mais básico. O que aconteceu foi simplesmente horrível”, afirmou o presidente da Câmara de Minneapolis, Jacob Frey, em conferência de imprensa. Além das queixas do homem, pode também ouvir-se no vídeo uma mulher a insultar o agente, a dizer que este está a gostar de estar a magoar o detido e a dizer-lhe que este está a sangrar do nariz. 

As autoridades tinham sido chamadas ao local para investigar uma denúncia de falsificação num negócio, de acordo com o porta-voz das autoridades, John Elder. O homem, que acabou por morrer, correspondia à descrição feita pela parte queixosa. Quando foi interpelado pelas autoridades, o homem "resistiu fisicamente aos polícias" mas os agentes conseguiram algemá-lo. De acordo com Elder, os polícias "notaram que ele parecia estar a sofrer de problemas médicos” e por isso este foi levado de ambulância para o Centro Médico do Condado de Hennepin, onde acabou por morrer.

O chefe da polícia de Minneapolis, Medaria Arradondo, garantiu que existem “políticas em vigor para colocar alguém sob controlo” e que uma “completa investigação interna” vai ser feita para apurar o que aconteceu. Os agentes envolvidos foram colocados sob baixa administrativa remunerada, uma situação que se irá manter até a investigação ser concluída.