Sociedade

PSP e GNR registam menos ocorrências por violência doméstica

No primeiro trimestre deste ano foram registadas 6347 ocorrências às autoridades, menos 9% do que no mesmo período do ano passado. 

Entre janeiro e março deste ano, o número de queixas apresentadas à PSP e à GNR pelo crime de violência doméstica diminuiu cerca de 9%, relativamente ao período homólogo do ano passado. No primeiro trimestre deste ano registaram-se 6347 ocorrências participadas e, em 2019, o número foi de 6980.

No entanto, o número de reclusos presos por este crime aumentou: 1036 este ano e 989 no primeiro trimestre do ano passado. Em percentagem, houve um aumento de 15,4%. Os números foram divulgados esta quinta-feira pelo Governo relativamente ao primeiro trimestre de 2020. Relativamente ao período homologo do ano passado, o maior aumento vai para as pessoas acusadas de violência doméstica que viram como medida de coação o afastamento com vigilância eletrónica: Em 2019 registaram-se 379 pessoas com esta medida e este ano foram 526, um aumento de 38,8%. 

O programa para agressores em violência doméstica também teve mais pessoas integradas, num total de 1386 pessoas. 

Relativamente às estratégias desenvolvidas para combater a violência doméstica, sobretudo durante a pandemia, a tutela refere que houve um reforço da capacidade de resposta da Rede Nacional de Apoio às Vítimas de Violência Doméstica, “dos meios de comunicação e atendimento, monitorização das situações em acompanhamento com maior regularidade, atendimento presencial em situações urgentes, articulação estreita com outros serviços e autarquias para responder a necessidades urgentes de acolhimento”. “De salientar também as já anunciadas duas novas estruturas temporárias de acolhimento de emergência, com vagas para 100 pessoas”, acrescentou o Governo em comunicado.