Economia

Líderes da UE retomam trabalhos para tentar fechar plano de relançamento

Relativamente ao Quadro Financeiro Plurianual da União, o orçamento para os próximos sete anos, Charles Michel baseou-se na proposta que avançara em fevereiro passado.

Os chefes de Estado e de Governo da UE retomaram os trabalhos a 27, em Bruxelas, para fechar o plano de relançamento da economia europeia, com base no orçamento para 2021-2027 e no Fundo de Recuperação.

O novo documento apresentado aos 27 por Michel com vista a 'fechar' definitivamente um acordo sobre o plano de relançamento da economia europeia no contexto da crise da covid-19, 'confirma' para o Fundo de Recuperação o montante de 390 mil milhões de euros para as subvenções (transferências a fundo perdido), mas eleva o valor dos empréstimos para 360 mil milhões, o que 'recoloca' assim o montante global nos 750 mil milhões originalmente previstos (contra o anúncio anterior de que o compromisso a 27 reduzia o valor total para 700 mil milhões).

Relativamente ao Quadro Financeiro Plurianual da União, o orçamento para os próximos sete anos, Charles Michel baseou-se na proposta que avançara em fevereiro passado -- e que não mereceu o aval dos 27 -, mas com algumas alterações tendo em conta o impacto económico da crise da covid-19, mantendo as grandes prioridades e sem avançar nesta fase com propostas de novos recursos próprios.