Economia

British Airways chega a acordo com sindicato dos pilotos

Os pilotos verão seu salário reduzido inicialmente em 20%, valor que diminuirá para 8% nos próximos dois anos e chegará a zero, mas a longo prazo, indica o sindicato.

A companhia aérea British Airways conseguiu um acordo com o sindicato dos pilotos britânicos BALPA para ajustar as condições laborais destes trabalhadores devido à crise provocada pelo coronavírus, divulgou o grupo de aviação IAG.

A proposta, que o sindicato apoia e será submetida a consulta pelos 4.300 pilotos, inclui cerca de 270 demissões obrigatórias, número que deverá ser reduzido com as medidas voluntárias de mitigação propostas.

Os pontos acordados excluem a possibilidade de "demissão e recontratação (com piores condições)" e admitem a opção de trabalhar a meio tempo, despedimento com indemnização e licenças voluntária, explica a estrutura sindical.

De acordo com o comunicado, seria criada uma espécie de bolsa de 300 pilotos que receberiam menor remuneração e estariam preparados para regressar ao trabalho assim que a procura aumentasse.

Os pilotos verão seu salário reduzido inicialmente em 20%, valor que diminuirá para 8% nos próximos dois anos e chegará a zero, mas a longo prazo, indica o sindicato.

"O BALPA aconselha os seus membros a aceitarem estas propostas como as melhores que podem ser alcançadas nestas circunstâncias", diz a representação sindical.

O secretário-geral Brian Strutton lamenta que a empresa não tenha aceitado "o pacote completo de medidas mitigadoras" sugeridas pelo sindicato, que - disse - "teriam evitado a perda de empregos, sem nenhum custo para a British Airways".