Economia

AHRESP. Empresas de animação noturna na iminência de insolvências em massa

Alerta é da Associação de Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal que defende a urgente necessidade de medidas compensatórias que evitem as inevitáveis insolvências e despedimentos coletivos.

As empresas de animação nocturna, que se encontram de portas fechadas, por determinação legal, há cerca de cinco meses, podem fechar de vez. O alerta é da Associação de Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) que garante que “este cenário dramático, de total descapitalização das empresas, coloca em risco a sustentabilidade e sobrevivência de milhares de negócios e de muitos milhares de postos de trabalho”.

A AHRESP diz ainda que “tem acompanhado, desde a primeira hora, o drama sentido por estas empresas, procurando incentivar a sua reabertura junto das entidades competentes”, lembrando que foi apresentado há várias semanas um Guia de Boas Práticas ao Ministério da Economia, ao qual se aguarda reação e respetiva validação por parte da Direção-Geral da Saúde.

A representante do setor pede ajuda ao Governo. “Na impossibilidade sanitária da reabertura no curto prazo para estas empresas, a AHRESP apresentou ao Governo um Programa de Apoio, com propostas concretas, compensatórias, para que o setor da animação noturna possa sobreviver. Urgem assim apoios financeiros não reembolsáveis para reforço das tesourarias, bem como um apoio específico para a manutenção dos milhares de postos de trabalho que dependem destas atividades económicas”.