Sociedade

Grupo suíço tem projeto de megatorre para o beato

É na Rua do Açúcar, em Lisboa, que um grupo suíço quer construir um condomínio de luxo. Projeto já foi apresentado aos marvilenses.

Um projeto na zona do Beato, freguesia do concelho de Lisboa – mais concretamente na Rua do Açúcar –, que pretende construir uma megatorre para um condomínio de luxo, está a ser levado a cabo pelo grupo suíço MGB Development e até já foi apresentado aos marvilenses. Os moradores, comerciantes e trabalhadores da zona já foram convidados para uma exposição na própria sede – que decorreu durante uma semana –, com o objetivo de dar a conhecer o projeto aos habitantes e frequentadores daquela freguesia da capital.

O SOL apurou que o grupo suíço em questão, que comprou a antiga sede da empresa de navegação portuguesa Soponata - Sociedade Portuguesa de Navios Tanques, adquiriu também terrenos e armazéns adjacentes à Sociedade Geral de Projetos Imobiliários e Serviços, local que acolheu também a redação do jornal i e deste semanário nos últimos quatro anos e meio.

A Câmara Municipal de Lisboa diz, porém, não conhecer qualquer tipo de projeto naquela zona. «Pela localização e indicações  não conseguimos identificar o projeto», revelou ao SOL fonte da autarquia, remetendo novas informações para mais tarde.

O SOL tentou ainda entrar em contacto com o responsável do grupo MGB Development, mas até à hora de fecho desta edição não obteve qualquer resposta.

Este grupo, recorde-se, comprou a antiga sede da Sonopata, que foi criada a 13 de junho de 1947, acabando por ser  considerada uma das empresas importantes que fez parte da Marinha Mercante Portuguesa. «Durante a Segunda Guerra Mundial, as dificuldades de abastecimento de combustíveis, aliadas à ausência de frota de navios petroleiros, acentuaram a dependência energética de Portugal face aos países com companhias transportadores de petróleo. O então Ministro da Marinha, Almirante Américo Thomaz, defendeu a ‘constituição de uma companhia de navegação a que fosse atribuída a exploração de todos os navios tanques portugueses’», pode ler-se no site oficial da Comissão Cultural da Marinha.
O edifício da Rua do Açucar tem na fachada um painel de azulejos da autoria conjunta de Júlio Pomar e Alice Jorge, que ainda hoje é um dos pontos turísticos da zona, com frequentes grupos de visitantes portugueses e estrangeiros.
Além disso, o seu amplo hall de entrada é também forrado a azulejaria da antiga fábrica Viúva Lamego.