Economia

Movimento nos aeroportos cai 97,4%. Metro com "quebra histórica"

Também o metro registou uma "quebra histórica", com o recuo de 76,3% no 2.º trimestre do ano, tendo transportado 16,3 milhões de passageiro.

O número de passageiros nos aeroportos nacionais no 2.º trimestre caiu 97,4% do, em virtude das medidas de restrição adotadas ao nível do espaço aéreo. Os dados foram divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). 

Também o metro registou uma "quebra histórica", com o recuo de 76,3% no 2.º trimestre do ano, tendo transportado 16,3 milhões de passageiros, "sob o efeito da paralisação dos transportes públicos devido à pandemia da Covid-19".

O valor mínimo para o metro ocorreu no mês de abril no qual apenas foram contabilizados 3,0 milhões de passageiros (-86,6% face ao mês homólogo).

O INE revela mesmo que os decréscimos foram, além de "acentuados", "generalizados no transporte de passageiros e mercadorias", devido às medidas que foram adotadas para evitar a propagação do vírus. 

O transporte de passageiros por comboio sofreu uma redução de 70,5% (+6,4% no trimestre anterior), com um total de 12,7 milhões de passageiros. Já o transporte de passageiros por via fluvial diminuiu 72,4% (-12,1% no 1ºT 2020), atingindo 1,5 milhões de passageiros.

O transporte de mercadorias registou decréscimos generalizados: -57,4% no transporte aéreo (+4,2% no 1ºT 2020), -22,6% no transporte marítimo (-2,7%), -14,2% no transporte por ferrovia (-7,3%) e -19,4% no transporte rodoviário (-4,8%).