Sociedade

Igualdade de género. Portugal em 16.º lugar no ranking da União Europeia

Apesar de estar abaixo da média da UE, já subiu 4 lugares desde o primeiro estudo, feito em 2010.

Saiu ontem o Índice Europeu da Igualdade de Género 2020 e Portugal encontra-se em 16.o lugar, com 61,3 pontos em 100. A média dos Estados-membros é de 67,9, estando assim Portugal 6,6 pontos abaixo.

De acordo com o estudo feito pelo Instituto Europeu da Igualdade de Género (IEIG), Portugal é dos países que mais avanços fez nos últimos anos. Desde o primeiro estudo a ser feito, em 2010, Portugal teve um aumento de 7,6 pontos percentuais e de quatro posições no ranking.

Os melhores resultados são na área da saúde, com 84,6 pontos, e na área do trabalho, com 72,9. O que quer isto dizer? Relativamente à saúde, estamos a falar em termos de esperança de vida, o facto de se levar uma vida saudável e o acesso aos cuidados de saúde. No que toca a trabalho, falamos da expetativa de anos de trabalho e taxa de emprego, por exemplo. Apesar de tão bons resultados nestas áreas, na saúde continuamos abaixo da média da UE (em 20.o lugar).

Mas no que toca ao tempo e ao poder, os valores já não são tão positivos. Em termos de tempo, em que se contabiliza a dedicação a atividades de lazer, voluntariado e tarefas domésticas, Portugal encontra-se no terceiro lugar a contar do fim em termos de igualdade de género.

Na esfera do poder (onde contamos com 51,1 pontos percentuais), os fatores em questão são o número de mulheres em determinados cargos e em vários ramos, desde a política às organizações.

Os líderes mantêm-se os mesmos desde 2010: Suécia em primeiro lugar e Dinamarca em segundo. Este ano, o último lugar foi para a Grécia, com apenas 52,2 pontos percentuais.

Os maiores progressos em termos gerais registam-se na área da saúde. Pelo contrário, as diferenças na gestão do tempo aumentaram e a UE regrediu.

De acordo com o IEIG, se este ritmo continuar, Portugal pode demorar 60 anos a atingir a igualdade de género.