Internacional

Um Natal que ‘não será como os outros’

Os Governos de Espanha, Itália e Bélgica já anunciaram quais vão ser as medidas restritivas que irão marcar as festividades de Natal e da Passagem de Ano.

Com a chegada das festividades de Natal e de Fim de Ano, os Governos de todo o mundo começam a anunciar as medidas de restrição contra a covid-19 que vão ser tomadas ou levantadas.

Em Espanha, o Governo central e as comunidades autónomas espanholas chegaram a acordo, na quarta-feira, sobre quais as medidas mínimas a aplicar em cada região, incluindo a proibição de viajar entre regiões, com exceção das reuniões familiares.

As medidas preveem também que as refeições não podem ter mais do que 10 pessoas e que o início do atual recolher obrigatório diário é atrasado para as 1h30 da madrugada no dia de Natal e no de Ano Novo.

Estas medidas mínimas são de aplicação obrigatória, podendo as 17 comunidades autónomas acrescentar outras mais rígidas.

Natal italiano será diferente

O ministro da Saúde italiano, Roberto Speranza, interveio esta quarta-feira no Senado sobre as medidas contra o coronavírus a serem implementadas durante as festas de final do ano e como será o plano de vacinação contra a covid-19 no país. Durante as férias de Natal, «a Itália vai desaconselhar viagens internacionais», disse o governante, sem, no entanto, falar em proibições ou possíveis quarentenas no retorno ao país. Speranza confirmou que a proibição das deslocações entre regiões vai continuar, como é o caso agora entre as áreas de maior risco, e que «nos dias mais importantes das festividades do final do ano – 25, 26 e 31 de dezembro –, os movimentos entre municípios serão restringidos». O objetivo destas medidas, declarou, é limitar atividades como o esqui e as grandes festas de Natal e Ano Novo, embora não tenha ainda esclarecido se as estações de esqui continuarão encerradas ou qual o número máximo de pessoas permitido ou recomendado para almoços e jantares durante as festas. «Não será um Natal como os outros, mas a contribuição de todos ajudará a prevenir a propagação do vírus e a aligeirar o trabalho nos centros hospitalares», acrescentou Roberto Speranza.

Como será no país com a maior taxa de mortalidade do mundo

A Bélgica, país que, segundo dados do Worldometer, apresenta a maior taxa de mortalidade do mundo em termos de covid-19, com 146 mortes por cem mil habitantes, vai ter apertadas restrições durante a quadra natalícia.

O Governo belga apenas irá permitir o ajuntamento máximo de quatro pessoas para celebrar o Natal e mesmo estas terão de se reunir ao ar livre, seja num jardim ou num terraço. Não poderá haver troca de comida entre as pessoas presentes e as regras de higiene e de distância têm de ser severamente respeitadas. Além, a entrada em casa estará restringida a apenas uma pessoa de cada vez e só com a justificação de utilizar a casa de banho.