Sociedade

Qual é o panorama da poluição nas praias portuguesas?

Em junho não se verificava poluição em 68 praias portuguesas. 


Em junho, os órgãos de informação noticiaram que em Portugal havia 68 praias sem vestígios de poluição há três anos seguidos.

Para um concelho ser líder na lista de praias de “Zero Poluição”, criada pela associação ambientalista Zero em 2016, é necessário ter águas balneares com elevado nível de qualidade. A título de exemplo, apenas 28 municípios têm este estatuto, sendo o mesmo alcançado através de três anos com análises microbiológicas impolutas, ou seja, não foi detetada qualquer contaminação microbiológica nas águas balneares.

Das 68 praias selecionadas no ano corrente, oito pertenciam à região Norte: a praia da Aguda, em Vila Nova de Gaia, a de Pedras do Corgo, em Matosinhos, a de Fão-Ofir e a de Ramalha, em Esposende, as de Afife, Ínsua e Paçô, em Viana do Castelo, e a de Forte do Cão, em Caminha. Sublinhe-se que nenhuma praia fluvial integrou esta lista. Em 2020, Torres Vedras lidera o ranking com dez praias, sendo seguido de Peniche e Angra do Heroísmo, que viram, cada um, cinco das suas praias integrarem esta lista. É de realçar que as praias com zero poluição representam somente 11% (9% em 2019) do total das 621 zonas balneares (608 em 2019) do país. Ainda assim, entre o ano passado e 2020 entraram para a lista mais 24 praias em relação às 44 classificadas no ano passado.

Em junho do ano passado, a associação divulgou que “mais de 80% dos 12,2 milhões de toneladas de plástico que entram no ambiente marinho em cada ano vêm de fontes terrestres, sendo o maior contribuinte o lixo de plástico, incluindo itens como garrafas de bebidas e outros tipos de embalagens”.