Internacional

Neste país os influenciadores são grupo prioritário para receber a vacina contra a covid-19

Idosos? Doentes de risco? Não. Neste país são os influenciadores que estão na linha da frente para receber a vacina.


São várias as estratégias dos países no que diz respeito à vacinação contra a covid-19, mas a Indonésia adotou um plano muito diferente da maior parte: no país, os influenciadores estão na fila da frente para ser vacinados contra a doença.

Raffi Ahmad, ator, tem uma página no Instagram que partilha com a mulher, a também atriz Nagita Slavina, com quase 50 milhões de seguidores, e foi o escolhido para ser um dos primeiro a ser vacinado contra a covid-19.

“Alhamdulillah [Louvado seja Deus] pela vacina... Não tenha medo das vacinas”, escreveu o ator, de 33 anos, na legenda de um vídeo em que surge a ser vacinado.

O facto de os influenciadores terem sido definidos como grupo prioritário quando as vacinas são ainda limitadas não passou despercebido e o Governo acabou por explicar que esta foi uma estratégia de comunicação governamental propositada para explicar à população a importância de ser vacinado contra a covid-19.

Apesar de a Indonésia ser um dos países asiáticos mais afetados pelo novo coronavírus, a população tem demonstrado algum ceticismo face à segurança e eficácia da vacina.

O Ministério da Saúde da Indonésia não adiantou quantos influenciadores seriam vacinados nesta primeira fase, a par dos profissionais de saúde, mas indicou que personalidades como os músicos Ariel, da banda Noah, e Risa Saraswati deveriam receber a vacina esta quinta-feira.

Contudo, nem tudo correu da melhor forma. Poucas horas depois de ser vacinado, surgiram imagens de Raffi Ahmad numa festa, sem máscara e a desrespeitar o distanciamento social, gerando uma onda de críticas.