Sociedade

Titulares de órgãos de soberania começam a ser vacinados a partir da próxima semana

Costa já terá enviado aos órgãos de soberania cartas “para que estabeleçam as prioridades para inoculação em cada um dos serviços”.

A partir da próxima semana, os titulares de órgãos de soberania, deputados, funcionários da Assembleia da República, membros dos órgãos das Regiões Autónomas e presidentes de câmara, enquanto responsáveis da proteção civil, vão começar a ser vacinados contra a covid-19, avança o Diário de Notícias, que cita um despacho emitido pelo primeiro-ministro.

Segundo o DN, o despacho emitido esta segunda-feira e que tem efeitos a partir de hoje, refere também que, a partir da próxima semana, serão ainda vacinados a Provedora de Justiça, os membros do Conselho de Estado e a magistratura do Ministério Público.

Costa já terá enviado aos órgãos de soberania cartas “para que estabeleçam as prioridades para inoculação em cada um dos serviços”.

Na mensagem enviada pelo chefe do Governo ao presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, a que o DN teve acesso, Costa refere que “de modo a que se possa programar com precisão este processo é essencial definir, entre estes titulares, a indispensável ordem de prioridade, tendo em conta a limitada quantidade de doses disponíveis em cada semana" e pede que se especifique os deputados e a lista nominativa dos funcionários da AR que devam ser considerados prioritários nesta fase.

Costa diz ainda que já estabeleceu prioridades dentro do executivo, "tendo em conta as competências na tutela de serviços essenciais, no combate à pandemia ou no exercício da Presidência Portuguesa da União Europeia". Na lista está o próprio primeiro-ministro em primeiro lugar, seguindo-se os ministros de Estado, da Defesa, da Administração Interna, da Justiça, do Trabalho, da Saúde, do Ambiente e das Infraestruturas. Fazem ainda parte da lista os secretários de Estado da Saúde, os cinco secretários de Estado “que exercem a função de coordenação regional no combate à pandemia", e a secretária de Estado dos Assuntos Europeus. Posteriormente vêm os restantes governantes.

O DN escreve que o documento não faz qualquer referência aos profissionais de saúde dos hospitais privados. 

Recorde-se que a ministra da Saúde, Marta Temido, anunciou ontem que, na próxima semana, vai arrancar a vacinação dos maiores de 50 anos com certas comorbilidades, dos bombeiros e equipas de primeira intervenção de ação social e ainda das pessoas que asseguram serviços essenciais.