Sociedade

Governo agradece ajuda alemã: "É muito, sobretudo para um sistema de saúde que está a sofrer uma elevada pressão"

Equipa alemã enviada por Berlim inclui 26 elementos.


A equipa de profissionais de saúde das Forças Armadas alemãs chegou esta quarta-feira a Portugal e foi recebida, na Base Aérea de Figo Maduro, pela ministra da Saúde, Marta Temido, e pelo ministro da Defesa, João Gomes Cravinho.

Em declarações dos jornalistas, Marta Temido confessou que foi a pressão sentida em Lisboa e Vale do Tejo devido à situação epidemiológica da covid-19 na região que levou o Governo a planear “a melhor forma de fazer face a este momento ainda muito difícil”. A ministra agradeceu a ajuda alemã, que significa “muito” num sistema de saúde sob “elevada pressão”.

“Foi com grande apreço que registámos ofertas de disponibilidade de vários sistemas de saúde, entre elas a dos nossos anteriores colegas na presidência da União Europeia”, disse, referindo-se à Alemanha, destacando aquela que foi uma “disponibilidade das mais úteis para um SNS que enfrenta aquilo que o nosso SNS enfrenta”, isto é, “disponibilidade de recursos humanos altamente diferenciados e preparados”.

A equipa vai abrir oito camas de cuidados intensivos no Hospital da Luz, que vão receber doentes críticos da zona de Lisboa. Vão trabalhar sozinhos, com exceção de apoio hospitalar que possam precisar noutras áreas. 

“Para alguns poderá parecer pouco, mas quero-vos dizer que é muito.  É muito, sobretudo para um sistema de saúde que está a sofrer uma elevada pressão e onde os próximos dias serão os mais significativos”, afirmou ainda Marta Temido, explicando que a equipa alemã irá assegurar a resposta “ a essas camas e ser uma garantia de mais uma unidade de cuidados intensivos em Lisboa e Vale do Tejo”.

 “Estamos a falar de instalações que estavam preparadas, em termos de infraestruturas e de equipamentos, mas que já não tinham recursos humanos para poderem funcionar”, explicou.

Também o ministro da Defesa agradeceu a “prontidão e a generosidade” do governo alemão e sublinhou “o grande espírito de solidariedade da Alemanha”.

“Há dias escrevi uma mensagem à ministra [da Defesa] alemã para agradecer o apoio. A resposta foi muito simples: é para isso que servem os amigos”, contou João Gomes Cravinho, que destacou assim que Portugal está enquadrado no contexto da União Europeia, ou seja, “no contexto de países amigos que se apoiam uns aos outros”.

“A chanceler Angela Merkel perguntou ao nosso primeiro-ministro como poderia apoiar. Rapidamente veio uma equipa das Forças Armadas alemãs a Portugal para fazer um levantamento”, recordou. “Em função dessa missão das Forças Armadas alemãs, identificaram-se várias possibilidades de apoio que se concretizam agora, com a chegada do avião da Força Aérea alemã”, acrescentou.

“É com muito apreço que saudamos esta postura do governo alemão e vamos, naturalmente, utilizar da melhor maneira possível este apoio”, rematou.

Recorde-se que equipa alemã enviada por Berlim inclui 26 elementos - oito médicos, enfermeiros e auxiliares. Trazem ainda material, que inclui ventiladores portáteis, 150 camas articuláveis e bombas de infusão, usadas em cuidados intensivos.