Sociedade

Grupo de enfermeiros entrega queixa contra bastonária no Conselho Jurisdicional da Ordem

O grupo defende que a bastonária tem violados os deveres deontológicos da Ordem dos Enfermeiros e sublinha as declarações públicas de Ana Rita Cavaco como agravosas para a imagem pública da Ordem. 

 


Um grupo de 18 enfermeiros entregou, esta quinta-feira, uma participação disciplinar contra a bastonária da Ordem dos Enfermeiros, Ana Rita Cavaco, ao Conselho Jurisdicional da Ordem, avançou a TVI.

Num documento defendido por 58 argumentos, os enfermeiros pedem a "aplicação da correspondente sanção disciplinar, pela verificação de fortes indícios de violação dolosa de diversas normas legais enunciadoras de deveres deontológicos dos enfermeiros, bem como de outras normas legais" e ainda a expulsão da bastonária da Ordem.

"A violação de tais deveres deontológicos é de tal forma grave e danosa da imagem pública da Ordem e da profissão de Enfermeiro, que, no entendimento dos signatários justifica a aplicação da pena disciplinar máxima, isto é, a expulsão", cita a TVI, que teve acesso ao documento.

O enfermeiro, Manuel Lopes, que subscreveu a participação disciplinar, diz que a bastonária "representa os enfermeiros" e que este grupo, também apoiado por outros enfermeiros que não assinaram a queixa, "demarca-se totalmente deste tipo de atitudes e linguagem".

"Nós não atacamos pessoas. Nós discordamos frontalmente de linguagem e comportamentos atentatórios da dignidade de outros seres humanos. Não nos revemos nessa posição, não entendemos que este seja um comportamento de qualquer enfermeiro, muito menos de quem tem a função de liderar a Ordem”, disse o enfermeiro à estação televisiva.

Recorde-se que uma das declarações mais polémicas de Ana Rita Cavaco aconteceu recentemente numa publicação do Facebook em que chamou “gorda fura-filas” à presidente da Câmara de Portimão, Isilda Gomes, depois de uma alegada vacinação indevida.

O grupo de enfermeiros assinala ainda que "as recentes declarações da Enfermeira Ana Rita Cavaco, largamente veiculadas pela comunicação social, colocam em causa a dignidade e prestígio da Enfermagem e dos Enfermeiros".