Sociedade

Covid-19. Portugal aguarda por novas vacinas

Há menos 32 doentes nas unidades de cuidados intensivos e recuperaram 8865 pessoas. No entanto, a região de Lisboa e Vale do Tejo continua a ser a mais fustigada pela covid-19.

Portugal registou nas últimas 24 horas, segundo o boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS) divulgado esta terça-feira, 111 óbitos associados à covid-19 e 1502 novos contágios. Os números constituem, assim, uma subida face aos de segunda-feira, quando se confirmaram 90 mortes e 1303 novos casos. 

Dos 1502 novos contágios, 610 foram registados na região de Lisboa e Vale do Tejo. Segue-se o Norte. com 406 novos contágios, o Centro. com 300, o Algarve. com 74. e o Alentejo. com 65. Na Madeira há mais 46 infetados e nos Açores foi registado apenas um caso de infeção nas últimas 24 horas.

Quanto aos óbitos, 59 ocorreram em Lisboa e Vale do Tejo, 20 no Norte, 20 no Centro, dez no Alentejo e dois no Algarve. Nos arquipélagos não se registou qualquer morte associada à doença.

Já o número de doentes internados registou uma quebra recorde, depois se ter verificado uma subida no balanço da véspera. Há agora 4482 doentes com covid-19 nos hospitais portugueses, menos 350 do que na segunda-feira. Destes, 752 – menos 32 – estão em unidades de cuidados intensivos (UCI).

A título de exemplo, perante a diminuição do número de infetados, o Centro Hospitalar Tondela-Viseu (CHTV) suspende a atividade na unidade de internamento do CHTV-Fontelo.

A estrutura, instalada no Pavilhão do Fontelo, em Viseu, deixa de receber doentes, mas continua pronta para o caso de a situação voltar a agravar-se.

Nas últimas 24 horas, mais 8865 pessoas foram dadas como recuperadas, atualizando o total para 677 719.

Vacinas da Johnson&Johnson O presidente da Autoridade Nacional do Medicamento (Infarmed), Rui Santos Ivo, anunciou que Portugal deve receber, no segundo trimestre do ano, 1,25 milhões de vacinas da Johnson&Johnson, tendo o pedido de aprovação do fármaco sido submetido esta terça-feira ao regulador europeu.

Problemas com o sistema “Nós estamos atentos aos erros que vão surgindo no sistema. Muitos têm a ver com o facto de ser uma ferramenta nova, as pessoas não estão familiarizadas com a mesma e nem sempre a usam nas melhores condições”, disse, à agência Lusa, o presidente da SPMS – Serviços Partilhados do Ministério da Saúde, Luís Goes Pinheiro.

É de salientar que mais de 183 mil pessoas utilizaram, desde domingo, o simulador online para consultar as listas de vacinação contra a covid-19. Goes Pinheiro adiantou igualmente que, “na medida do possível”, têm procurado aperfeiçoar esta ferramenta e tentar que “seja menos sensível ao erro de operação”.

Dos cidadãos anteriormente referidos, cerca de 21 mil aproveitaram para atualizar os seus contactos no portal e 323 utentes sinalizaram não ter número do SNS (Serviço Nacional de Saúde).

Variante sul-africana O Synlab, laboratório responsável pela testagem nos aeroportos de Portugal, detetou novos casos da variante da África do Sul. 

Em comunicado, refere que a variante sul-africana “é conhecida por atingir os pacientes mais jovens e por ser mais resistente a anticorpos”. 

O primeiro caso em Portugal foi identificado em dezembro e, até à data, o Synlab detetou quatro casos no país.

Atualmente existem 95 320 casos ativos, menos 7474 do que ontem, e as autoridades de saúde têm sob vigilância 123 180 contactos. O país soma agora um total de 15 522 vítimas mortais da doença e 788 561 infeções.