Economia

Lucro da Endesa sobe 36% para 2132 milhões em 2020

Este crescimento do resultado vai permitir distribuir um dividendo 6% superior ao previsto: 2,014 euros por ação, refere a empresa.

A Endesa registou um lucro líquido de 2132 milhões no ano passado, mais 36% do que em 2019, superando as previsões anunciadas, anunciou a empresa.

Este crescimento do resultado vai permitir distribuir um dividendo 6% superior ao previsto: 2,014 euros por ação. "A Endesa distribuirá 100% do lucro líquido ordinário de 2020 entre seus acionistas. A partir de 2021 embarcará em um novo caminho de redução progressiva do payout de 80% neste ano, para os 70% anunciados para 2022 e 2023, para se adequar ao aumento relevante de investimento planeado para os próximos anos: 7.900 milhões entre 2021 e 2023 e 25.000 milhões até o ano 2030", refere.

O EBITDA em termos comparáveis ​​com o ano anterior também subiu para 4.027 milhões, mais 5%, também superando as previsões de 3.900 milhões.

José Bogas, CEO da Endesa, destaca em relação aos resultados de 2020: “Alcançamos um sólido desempenho operacional e financeiro num ano repleto de desafios em todos os níveis decorrentes do impacto da pandemia. Continuamos a nossa trajectória de descarbonização, digitalização e promoção da electrificação com base em resultados sólidos, que nos permitirão também distribuir um dividendo verdadeiramente notável na situação actual. O ano de 2020 é também o ano em que materializámos de forma tangível o nosso lema de não deixar ninguém para trás, nem como consequência do processo de Transição Energética que entendemos ser justo, nem como consequência do golpe COVID, contra o qual temos implementado um Plano de Responsabilidade Pública, dotado de 25 milhões de euros ”.

E dá como exemplo, os avanços na descarbonização com o encerramento em junho das centrais de Compostilla e Teruel permitem o cumprimento da meta de produção peninsular isenta de CO2 fixada para 2022: 85%. "A nova meta para 2023 é chegar aos 89%", refere. Assim como o fortalecimento da liderança em mobilidade elétrica com uma rede de 7.100 pontos de recarga públicos e privados no final de 2020, mais 42% do que no final de 2019

A Endesa apresentou ainda uma melhoria do nível de endividamento em relação às projeções, com dívida líquida de 6.900 milhões. "O custo médio da dívida é reduzido do nível já bastante competitivo de 2019: de 1,8% para 1,7%. A relação dívida bruta / EBITDA sobe de 1,7 para 1,8 vezes", salienta.