Sociedade

Intervalo entre doses da vacina contra a covid-19 da Pfizer alargado de 21 para 28 dias

A medida irá permitir a vacinação de "mais de 100 mil pessoas até ao final de março". Pessoas com trissomia 21 serão incluídas no grupo prioritário. 

O secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda Sales, anunciou, esta segunda-feira, o alargamento de 21 para 28 dias do intervalo entre doses da vacina da Pfizer contra a covid-19.

"Temos de ir afinando o nosso plano, fazendo ajustes à realidade, dependente do calendário de chegada de vacinas e às alterações que o calendário vai sofrendo”, afirmou Lacerda Sales, numa conferência de imprensa sobre o ponto de situação do processo de vacinação em Portugal. Esta medida irá permitir a vacinação de "mais de 100 mil pessoas até ao final de março".

Até domingo, anunciou ainda o secretário de Estado, foram administradas 868.951 vacinas, das quais 603.585 dizem respeito à primeira dose e 265.366 à segunda. Cerca de 35% da população com 80 ou mais anos já recebeu pelo menos uma dose da vacina e 9% já está imunizada com as duas doses. Em relação aos profissionais de saúde, 70% já receberam pelo menos uma dose.

Questionado sobre a possibilidade de implementar em Portugal o "passaporte Covid", que permite retomar as viagens durante a pandemia para pessoas vacinadas ou recuperadas da covid-19, Lacerda Sales afirma que esta medida "tem de ser muito bem estudada e ponderada", por "razões jurídicas, de proteção de dados, e também razões de equidade". 

Também presente da conferência de imprensa, a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, confirmou a inclusão das pessoas com trissomia 21 no grupo prioritário. “Questionados sobre se a trissomia 21 devia ser incluída nos grupos prioritários, fomos fazer um estudo, e tendo concluído que sim, fizemos essa proposta e a proposta foi bem acolhida”, disse. Cerca de 3.500 pessoas a partir dos 16 ou 18 anos, nestas condições, irão ser inoculadas com a vacina. "Estamos abertos a poder analisar outros grupos que vão sendo propostos", afirmou Graça Freitas.