Vida

Sting arrependeu-se de ter reunido os Police em 2007

"Se eu soubesse que seria este o sentimento com que ia ficar, não a [digressão] teria feito", afirmou o músico.


Sting confessou que se arrependeu de ter reunido os Police em 2007, no que chamou de “um exercício de nostalgia”

Em entrevista à Reader's Digest, o músico de 69 anos sublinhou que já na altura foi assim que o encarou e ainda é o que sente hoje. "Julgo que não há problema em ser honesto", disse ao recordar a tour da banda que se juntou para uma última digressão, da qual Portugal fez parte.

Sting fez, no entanto, questão de esclarecer que as suas palavras e sentimentos em relação à tour “não são uma crítica às pessoas” com quem esteve, ou “à forma como as coisas se desenrolaram".

"Tem a ver com a forma como a encarei no final. Honestamente, não a queria lembrar assim", afirmou. "Se eu soubesse que seria este o sentimento com que ia ficar, não a [digressão] teria feito", acrescentou.

Sting, que acaba de lançar um álbum de duetos, sublinhou que gosta de ser um artista a solo por causa da "liberdade total" que tem. “Acho que há uma maior liberdade em ser um artista a solo”, disse. "Não é uma questão de poder, trata-se apenas de produzir exatamente a marca e o estilo de música que parecem mais certos para ti”, explicou.

“A música é sempre um processo colaborativo, mas nunca mais do que numa banda, onde temos que ter as outras pessoas tanto em consideração como a nós mesmos. Ter total liberdade na carreira é, para mim, a maior emoção de ser um artista a solo”, completou o músico.