Economia

Pandemia pode prejudicar ativos bancários

“Uma importante lição aprendida da grande crise financeira é que a identificação precoce e a gestão do risco de crédito são essenciais para evitar a acumulação de maus empréstimos”, disse Andrea Enria.

O presidente do Conselho de Supervisão do Banco Central Europeu garantiu que a pandemia vai conduzir a uma deterioração da qualidade dos ativos bancários.

“Uma importante lição aprendida da grande crise financeira é que a identificação precoce e a gestão do risco de crédito são essenciais para evitar a acumulação de maus empréstimos”, disse Andrea Enria.

O responsável disse ainda que o BCE enviou cartas em julho e dezembro do ano passado aos bancos a explicar as suas expectativas em termos de preparação para este aumento do crédito malparado e formulou uma estratégia para enfrentar o risco com duas prioridades.

A primeira é monitorizar a queda abrupta na qualidade dos ativos que pode ocorrer quando medidas de apoio, tais como moratórias, linhas de garantia ou ajuda às empresas, são retiradas.

"Se não se prolongarem além de meados do ano, este será o momento em que veremos a materialização da (deterioração) da qualidade dos ativos, mas pedimos aos bancos que comecem já a analisar a viabilidade dos seus ativos", adiantou.

A segunda é precisamente garantir que os bancos estão preparados, tendo capacidade operacional para lidar com o aumento de crédito malparado e cumprindo as regras prudenciais, para poderem apoiar clientes em dificuldades e limpar rapidamente os balanços.