Sociedade

Descoberta nova espécie de borboleta noturna no Alentejo

'Ypsolopha milfontensis' ainda agora foi identificada e já o risco de extinção é elevado.


Investigadores do Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos (CIBIO-InBIO) da Universidade do Porto descobriram uma nova espécie de borboleta noturna na costa sudoeste alentejana, mas dada a sua localização está "potencialmente sob elevado risco de extinção".

O centro da Universidade do Porto adiantou, num comunicado divulgado esta quinta-feira, que a descoberta, publicada na revista científica SHILAP Revista de lepidopterologia, decorreu durante trabalhos de campo, realizados entre Vila Nova de Milfontes e o Cabo Sardão, para encontrar "borboletas do género 'Ypsolopha', que em Espanha se alimentam de plantas género 'Ephedra'".

Durantes os trabalhos foram encontrados "quatro adultos e diversas lagartas pequenas e castanhas", posteriormente identificadas como uma "nova espécie para a fauna portuguesa".

Em homenagem ao local da descoberta, Vila Nova de Milfontes, a nova espécie foi ‘batizada’ de 'Ypsolopha milfontensis' e é resultante da borboleta 'Ypsolopha rhinolophi’.

"Enquanto 'Ypsolopha rhinolopsi' se alimenta de carvalho-negral, a nova espécie alimenta-se de um arbusto ameaçado endémico do oeste da região mediterrânica e dos arquipélagos da Madeira e Canária", revela o CIBIO-InBIO, acrescentando que esta planta, está classificada como "vulnerável" na lista vermelha de flora vascular de Portugal continental.

"A redução das suas populações deve-se principalmente à destruição de 'habitat' pela pressão urbana e turística", refere.