Economia

Consumo na semana de 19 a 25 de abril supera os registos pré-pandemia

"Este crescimento deve-se sobretudo ao comércio online, que tem vindo a registar um crescimento significativo ao longo da pandemia", diz SIBS.

O número total de compras (físicas e online) atingiram na semana de 19 a 25 de abril os registos prépandemia, pela primeira vez em 2021. Os dados foram revelados pela SIBS. 

"Este crescimento deve-se sobretudo ao comércio online, que tem vindo a registar um crescimento significativo ao longo da pandemia, estando atualmente 51% acima dos níveis registados no 'antigo normal'. De sublinhar ainda que, no período antes do aparecimento do novo coronavirus, o comércio online representava apenas 10% do total das compras eletrónicas, sendo que este valor chegou a representar 18% em fevereiro de 2021 e está atualmente (semana de 19 a 25 de abril) nos 14%", revela em comunicado.

De acordo com os mesmos dados, neste cenário é ainda de sublinhar o crescimento do MB WAY como forma de pagamento simples e segura, que chegou a registar crescimentos de 4 vezes o número de compras em fevereiro de 2021 face ao “antigo normal” e de 3,6 vezes na primeira semana da 3ª fase de desconfinamento.

"No comércio físico, e embora o consumo já esteja acima dos valores homólogos de 2019, o mesmo está ainda a 5% abaixo do verificado no período de “antigo normal”, mas em crescimento desde março de 2021 e, na semana de 19 a 25 de abril, ficou mesmo acima do registado no período homólogo dos dois últimos anos, nomeadamente de 2020, período em que Portugal se encontrava no 1º confinamento. Também neste canal as compras com MB WAY têm crescido exponencialmente, sendo atualmente 4,8x superior ao registado anteriormente, comprovando que o MB WAY é cada vez mais o serviço de pagamentos móveis preferido dos portugueses, consumidores e empresas, pela sua comodidade e segurança", acrescenta.

Os dados indicam que, numa análise setorial, verifica-se que os negócios mais impactados durante o período de confinamento – alojamento turístico, restauração, transporte de passageiros e moda & acessórios – apresentam um gradual retorno com as diferentes fases de reabertura, sendo que na última semana encontram-se ainda a 16% face ao “antigo normal”.

Já os setores do pequeno comércio - mercearias, mini-mercados & similares, produtos alimentares, bebidas & tabaco -, mantém-se em contraciclo, com incrementos do numero de compras electronicas a rondar os 24% no total de compras físicas e online.