Internacional

Ryanair diz que tripulação recebeu aviso de ameaça a bordo antes de avião ser desviado para Minsk

Roman Protasevich, jornalista crítico ao regime bielorrusso, foi detido este domingo, depois de um avião da Ryanair ser desviado para Minsk. 

A Ryanair disse, esta segunda-feira, que o avião em que viajava Roman Protasevich, jornalista crítico ao regime bielorrusso que foi detido, recebeu um aviso de ameaça à segurança a bordo antes de ser desviado para Minsk.

Em comunicado, a companhia aérea irlandesa disse que o controlo de tráfego aéreo bielorrusso comunicou uma suposta ameaça à tripulação e deu “instruções para desviar para o aeroporto mais próximo, Minsk”.

Depois de o avião, que tinha partido de Atenas em direção a Vilniuns, aterrar em Minsk, nada foi encontrado, revela a Ryanair.

Este domingo, as autoridades bielorrussas detiveram Roman Protasevich depois de o presidente bielorrusso, Alexandr Lukashenko, ordenar que o voo onde este seguia fosse desviado para Minsk.

Quando o avião chegou ao aeroporto, os passageiros foram obrigados a um controlo, que culminou na detenção do jornalista.

Segundo a AFP, vários passageiros do mesmo voo disseram que Roman Protasevich viveu momentos de angústia quando percebeu que o voo iria ser desviado para Minsk, dizendo que “era por causa dele”.

A prisão do ativista, de 26 anos, já levou a NATO e a União Europeia a ameçar novas sanções contra a Bielorrússia.