Sociedade

Governo diz que voo entre Portugal e China suspenso transportava sobretudo chineses

Voo foi suspenso depois de serem detetados casos positivos de covid-19 a bordo de um avião que vinha de Lisboa. 


O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, disse, esta quinta-feira, que já teve conhecimento da decisão da China de suspender a ligação aérea com Portugal por um período de duas semanas e que este se destinava sobretudo a cidadãos chineses, dadas as restrições do país asiático para a entrada de estrangeiros no seu território.

"O voo Lisboa-Xi'an era o único voo direto atualmente em operação entre Portugal e a China e destinava-se sobretudo ao transporte de cidadãos chineses, dadas as restrições de entrada de cidadãos estrangeiros em território chinês", afirmou Santos Silva, citado pela agência Lusa.

Note-se que a suspensão ocorreu depois de terem sido detetados sete casos de covid-19, no dia 14 de maio, num voo proveniente de Lisboa. O voo que faz a ligação entre Lisboa e Xi'an, operado pela Beijing Capital Airlines, vai estar suspenso a partir de 31 de maio, segunda-feira.

O governante português diz que "teve conhecimento da suspensão dos voos Lisboa-Xi'an por deteção de casos positivos após uma das viagens". Contudo, "como não estão em causa cidadãos portugueses e todos os cidadãos que viajaram no voo em causa têm nacionalidade chinesa, não foi o ministério dos Negócios Estrangeiros informado em que momento é que estes passageiros testaram positivo depois de chegados a território chinês".