Sociedade

É preciso recuar ao início de março para encontrar um número de novos casos mais elevado do que o desta quinta-feira

Também o número de vítimas mortais é o mais elevado desde 15 de maio e é preciso recuar até 26 de abril para encontrar um número de casos ativos superior ao atual. Por outro lado, o número de internamentos desceu ligeiramente. 


Morreram seis pessoas em Portugal devido à covid-19 nas últimas 24 horas e foram diagnosticados 910 novos casos. De acordo com o mais recente boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS), divulgado esta quinta-feira, o país soma agora um total acumulado de 855.432 casos de infeção e 17.043 vítimas mortais desde o início da pandemia.

Note-se que ontem o número de novos casos (890) foi o mais elevado em mais de três meses, mas esse registo foi hoje superado. É preciso recuar até seis de março, quando foram diagnosticados 1.007 novos casos, para encontrar um número de diário de novas infeções mais elevado do que aquele que foi hoje registado. Também o número de vítimas mortais é o mais elevado desde 15 de maio, quando morreram sete pessoas devido à doença.

O boletim mostra que a região de Lisboa e Vale do Tejo, a mais afetada nos últimos tempos, é responsável por 557 destes 910 novos casos. No Norte há mais 179 infetados, no Centro 66, no Algarve 36 e no Alentejo 28. Nas regiões autónomas dos Açores e da Madeira, há mais 38 e seis novas infeções, respetivamente.

Apenas uma das seis mortes por covid-19 das últimas 24 horas não se registou na região de Lisboa e Vale do Tejo, tendo ocorrido no Norte.

Por outro lado, o número de internados desceu ligeiramente. Há agora 295 pessoas com covid-19 internadas nos hospitais portugueses, menos 12 do que ontem. Já em UCI estão 72 pessoas, mais duas do que no último balanço.

Mais 534 pessoas recuperaram da doença, elevando para 814.023 o número de pessoas que estiveram infetadas e conseguiram vencer o vírus.

Portugal tem atualmente 24.366 casos ativos de covid-19, mais 370 do que na véspera – este é o número de casos ativos mais elevado desde 26 de abril, quando estavam ativos 24.662 casos. As autoridades de saúde têm 28.012 contactos em vigilância.

Consulte aqui o boletim na íntegra.