Sociedade

Quase 2.500 novos contágios de covid-19 marcam o início de julho

Grande Lisboa continua a ser região que regista maior número de casos diários mas o crescimento no Norte é maior. É preciso recuar a 13 de fevereiro para encontrar um número de novos casos superior ao de hoje. Há mais cinco pessoas com covid-19 nos hospitais, mas nos Cuidados intensivos estão menos doentes.


Portugal registou, nas últimas 24 horas, 2.449 novos casos de covid-19 e cinco vítimas mortais associadas à doença. De acordo com o mais recente boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), divulgado esta quinta-feira, o país soma agora um total acumulado de 882.006 infetados desde o início da pandemia, dos quais 17.101 não resistiram.

A região de Lisboa e Vale do Tejo registou 1.339 casos dos 2.449 diagnosticados em todo o país.

No Norte, embora o valor diário de casos seja muito inferior ao da região da capital, o crescimento dos últimos dias é proporcionalmente maior. Em dois dias, de terça para quinta-feira, passou de 361 para 566 casos, o número mais elevado desde os 584 de 14 de fevereiro. O Centro conta com 235 novos casos, o Algarve com 217 e o Alentejo com 53. No arquipélago dos Açores há 23 novos casos e no da Madeira mais 16.

Quatro dos cinco óbitos registados nas últimas 24 horas ocorreram em Lisboa e Vale do Tejo e um no Norte.

O número de internamentos votou a registar uma subida e há agora 509 doentes com covid-19 nos hospitais portugueses, mais cinco do que ontem. Os doentes em Cuidados Intensivos são agora 113, menos sete face ao último balanço.

Por outro lado, mais 1.234 pessoas venceram a doença, elevando o número de recuperados para 830.224.

Há agora 34. 681 casos ativos, mais 1.210 do que ontem, e as autoridades de saúde têm agora 53 260 contactos em vigilância.

Os dados acerca da incidência e do índice de transmissibilidade (Rt) foram atualizados na quarta-feira, pelo que hoje se mantêm iguais.

Portugal tem uma incidência de 172,8 casos de infeção por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias. Já quando considerado apenas o território continental, a incidência é de 176,9. O país continua assim na zona vermelha da matriz de risco.

Já o R(t) nacional é de 1,14 e no território continental de 1,15.

Consulte o boletim na íntegra