Sociedade

Movimento 'Acorda Portugal' manifesta-se em Lisboa e no Porto contra as restrições da covid-19

A maioria dos manifestantes saiu à rua sem máscaras.


"Movimento apartidário de cidadãos independentes contra as restrições da Covid-19 e contra o Certificado Digital" lê-se na descrição, na rede social Facebook, do grupo "Acorda Portugal". Centenas de pessoas, que, em larga escala, não cumpriram as medidas em vigor para controlo da pandemia de covid-19, como a distância de segurança ou a utilização de equipamento de proteção individual, manifestaram-se contra as medidas impostas pelo Governo em Lisboa - com início no Terreiro do Paço - e no Porto - com início na Praça dos Leões -, ambas sendo realizadas pelas 15h30.

“Saímos à rua para defender a nossa liberdade, e contestar a medida do certificado digital Covid-19 assim como as medidas que constantemente têm vindo a atropelar a nossa Constituição”, explicou o movimento - que diz não ter "qualquer ligação a partidos políticos" - na convocatória dos protestos, declarando que juntou, "em apenas dois dias, 10 mil pessoas num grupo de redes sociais”.

De acordo com a agência Lusa, "falando perante os manifestantes, Cátia Moura, do movimento 'Acorda Portugal', afirmou que 'o que o que está em causa é a liberdade', não concordando 'com medidas completamente opressivas e absurdas'", acrescentando que "não vão abafar a nossa Constituição". De seguida, a plateia respondeu em coro "Nunca!".

Segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde deste domingo, Portugal registou, nas últimas 24 horas, 3.261 novos casos de covid-19 e oito mortes associadas à doença. Desde março de 2020, o país já confirmou 930.685 contágios e 17.207 óbitos.