Sociedade

Número de mortes por covid-19 é o mais elevado dos últimos quatro meses

Dez das treze mortes ocorreram em Lisboa e Vale do Tejo. Incidência de novos casos e internamentos voltam a subir, mas RT desce.


Portugal registou, nas últimas 24 horas, 4.376 casos do novo coronavírus e treze vítimas mortais, de acordo com o mais recente boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), divulgado esta quarta-feira. É preciso recuar até 22 de março – quando se registaram 16 mortes – para encontrar um número mais elevado.

Lisboa e Vale do Tejo voltou a ser a região que concentrou o maior número de casos, com 1.744 infeções nas últimas 24 horas. Segue-se o Norte com 1.592, o Centro com 430, o Algarve com 394 e o Alentejo com 130. O arquipélago dos Açores soma mais 63 casos e o da Madeira 23.

Dez dos treze óbitos ocorreram em Lisboa e Vale do Tejo e as restantes três no Alentejo, Algarve e Açores.

O rácio de transmissibilidade (RT) e a incidência de novos casos foram atualizados esta quarta-feira. Portugal tem uma incidência de 409 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias, um aumento face aos 391 registados na atualização de segunda-feira, e Portugal continental de 421,3, um aumento de 18,3 valores. O RT situa-se nos 1,09, tanto a nível nacional como quando considerado apenas o continente. Na última atualização este indicador era de 1,10 em ambos os casos.

O número de internamentos voltou a aumentar pelo sétimo dia consecutivo, mas os doentes em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI) são menos do que na véspera. Há agora 867 pessoas com sintomas da covid-19 internadas nos hospitais portugueses, mais 13 do que ontem. Em UCI há 171 pessoas, menos seis.

Portugal registou, desde o início da pandemia, 939.622 casos de SARS-CoV-2, 52.147 dos quais permanecem ativos – mais 1.660 do que ontem –, e 17.232 não resistiram. Nas últimas 24 horas, 2.703 pessoas recuperaram da doença, elevando o total para 870.243. Atualmente, as autoridades de saúde têm 79.542 contactos em vigilância, menos 1.398 do que ontem.

Veja o boletim na íntegra.