Economia

Taguspark apoia empresas com 750 mil euros para minimizar impacto da pandemia

Apoios referem-se a carências sobre rendas, condomínio e outros serviços fornecidos pelo Taguspark.


O Taguspark – Cidade do Conhecimento já apoiou com cerca de 750 mil euros as empresas residentes, para ajudar os negócios que se viram afetados pelo contexto da pandemia.

A grande maioria dos lojistas e cerca de 20 empresas instaladas no maior Parque de Ciência e Tecnologia de Portugal beneficiaram assim de uma série de medidas desenvolvidas desde março de 2020.

Estes apoios têm incindido, maioritariamente, na carência sobre rendas, valores de condomínio e outros serviços fornecidos pelo Taguspark. Além disso, houve também um acréscimo de compras e aquisição de bens e serviços em algumas superfícies comerciais residentes no Parque, contribuindo para a vitalidade dos negócios internos.

“A Incubadora Taguspark, a única no sul do país com laboratórios preparados para start-ups de química, bioengenharia e ciências da vida, esteve particularmente visada nas medidas de apoio, uma vez que conta com a instalação de novas empresas e start-ups que, no arranque e desenvolvimento de atividade, necessitam de incentivos e uma rede de suporte reforçada”, sublinha a administração do Parque de Ciência e Tecnologia, através de comunicado.

De salientar que a Incubadora Taguspark é a única incubadora nacional que esteve na génese de um dos unicórnios portugueses, a Talkdesk.

“Estas medidas fazem parte da nossa missão rumo ao Parque Mais Cívico da Europa, onde valorizamos o bem-estar e a implementação de boas práticas fundamentais para a nossa comunidade. Como tal, cientes do contexto desafiante que várias empresas e lojistas enfrentam, decidimos avançar com apoios através da atribuição de carências e suspensão de faturação, com soluções personalizadas e adaptadas às diferentes áreas de negócio, para minimizar o impacto da pandemia.”, afirmou o CEO do Taguspark – Cidade do Conhecimento, Eduardo Baptista Correia.

O responsável garantiu ainda que o Taguspark continuará a monitorizar as necessidades do seu ecossistema, revendo apoios e definindo soluções à medida das empresas e espaços comerciais que o integram.

Adicionalmente, o Taguspark tem realizado esforços de modo a atrair público para os espaços comerciais, tendo retomado em maio de 2021 os concertos de verão e tendo optado por manter as exposições de arte durante todo o ano, respeitando as normas de segurança impostas pelo contexto atual.