Sociedade

Mulher detida por atear sete incêndios no mês de agosto em Coimbra

Suspeita terá atuado em coautoria com o seu companheiro, que está em prisão preventiva.


Uma mulher, de 51 anos, foi detida pela Polícia Judiciária (PJ), pela presumível prática de sete crimes de incêndio florestal, ocorridos no mês de agosto, todos na freguesia de Cernache, concelho de Coimbra.

A autoridade revela, num comunicado divulgado esta quarta-feira, que a suspeita “terá atuado em coautoria com o seu companheiro, sujeito à medida de coação de prisão preventiva pelos mesmos factos”.

A mulher ateou os fogos com recurso a chama direta, na floresta, “em zona com vasta mancha florestal, com continuidade vertical e horizontal, confinante com a zona urbana, com áreas ardidas de cerca de um hectare”.

“Os incêndios teriam proporções mais gravosas caso não tivesse havido uma rápida intervenção dos meios de combate”, sublinha a PJ, que indica ainda que a atuação da suspeita colocou em perigo “a integridade física e a vida de pessoas, habitações e a grande mancha florestal”.

A detida, desempregada, foi hoje presente a primeiro interrogatório judicial, tendo sido sujeita à medida de coação de prisão preventiva.