Economia

Easyjet rejeita proposta de aquisição e aumenta capital

“O aumento de capital anunciado não só fortalece o nosso balanço, permitindo-nos acelerar o nosso plano de recuperação pós-covid-19, mas também nos posiciona para o crescimento”, revela a empresa.


 A transportadora aérea easyJet rejeitou uma proposta de aquisição por considerar que não era interessante, ao mesmo tempo que lançou um aumento de capital de 1,2 mil milhões de libras (1,4 mil milhões de euros).

“O aumento de capital anunciado não só fortalece o nosso balanço, permitindo-nos acelerar o nosso plano de recuperação pós-covid-19, mas também nos posiciona para o crescimento”.

Sem revelar a identidade do comprador ou condições da oferta, o presidente-executivo da easyJet, Johan Lundgren, disse numa conferência de imprensa que "foi uma proposta muito recente, não vinculativa, muito preliminar" e que "a administração não hesitou e rejeitou rapidamente". 

Recorde-se que a easyJet registou prejuízos antes de impostos declarados de 747 milhões de euros (645 milhões de libras) no primeiro semestre fiscal encerrado em 31 de março, tendo a dívida alcançado os dois mil milhões de libras (2,34 mil milhões de euros).