Economia

Combustíveis. Apoios para minimizar subida são insuficientes, diz Antrop

Operadores do serviço público do transporte de passageiros dizem-se ignorados pelo Governo e pedem apoios.


Os apoios anunciados na passada sexta-feira pelo Governo para minimizar o “brutal” aumento dos combustíveis são “insuficientes”. A garantia é dada pela Associação Nacional de Transportes de Passageiros (Antrop), que diz ainda que a medida “contraria o que estava em negociação com a tutela, o Ministério do Ambiente”.

O setor, que integra as empresas do serviço público rodoviário de passageiros, “estava a negociar com o Governo a introdução do gasóleo profissional, o fim da aplicação da taxa de carbono, e a alteração da Taxa de Atualização Tarifária (TAT) de forma a permitir que a atualização da remuneração dos operadores pelo serviço público prestado, incluísse a oscilação do preço do gasóleo e dos custos com pessoal, e não apenas a variação da inflação”, garante a associação.

E, por isso, defende que o novo pacote de medidas permite “atenuar, apenas marginalmente, o acréscimo de custos suportados extraordinariamente pelas empresas filiadas na Antrop, mas são insuficientes para que a grande maioria delas possa continuar a sua atividade regular, indispensável à mobilidade diária de milhões de pessoas”.

A associação faz as contas: “Mesmo que o preço dos combustíveis se mantivesse estável até final do ano, a Antrop avalia em cerca de 50 milhões de euros o agravamento dos custos com combustíveis ao longo de 2021, sendo que este pacote de apoio anunciado pelo Governo cobre apenas cerca de 20 por cento desse valor, e não resolve nenhum problema do setor em termos estruturais”.

Luís Cabaço Martins, presidente da Antrop, não tem dúvidas: “Perante a atual situação de aumento brutal dos combustíveis e da carga fiscal, além de outros fatores como o custo do trabalho, é inevitável que muitas empresas do serviço público de transporte de passageiros acabem por ter que fechar portas, sufocadas por prejuízos sistemáticos, e sem conseguirem ver assegurados os apoios que estavam a negociar com o Governo”.

Ainda esta terça-feira o Eurostat alertou para a “volatilidade extrema” nos preços dos combustíveis na União Europeia. “Os preços dos combustíveis e lubrificantes para transporte pessoal na UE têm sido extremamente voláteis, com taxas de inflação anuais que variam entre  -20% e +20%”, refere o gabinete de estatística europeu.