Vida

Polícia foi obrigada a disparar para evitar roubo de pertences de Marília Mendonça do avião acidentado. Equipamentos informáticos e joias entre os itens recolhidos

Suspeitos conseguiram fugir. Autoridades recolheram 19 itens. 


A Polícia Militar brasileira foi obrigada a disparar balas de borracha contra quatro pessoas que tentaram furtar pertences dos destroços do avião que transportava Marília Mendonça e caiu, no passado dia 6 de novembro, resultando na morte da cantora e de outras quatro pessoas, na zona rural de Caratinga, Vale do Rio Doce, em Minas Gerais.

Segundo o registo da ocorrência, a que a TV Globo teve acesso, esta terça-feira, depois do acidente, três militares ficaram no local da queda da aeronave para preservar a cena do acidente. Nessa altura, quatro pessoas desceram uma colina, com uma lanterna, e, segundo as autoridades, dirigiam-se até ao avião para procurar objetos das vítimas. Mesmo após receberem ordem para parar, os suspeitos continuaram, obrigando a polícia a disparar dois tiros de balas de borracha.

Os suspeitos acabaram por conseguir fugir.

Recorde-se que, além da cantora, morreram no acidente o produtor Henrique Ribeiro, o tio e assessor da artista, Abicieli Silveira Dias Filho, o piloto Geraldo Medeiros Júnior, e o copiloto Tarciso Pessoa Viana.

Já o G1 teve acesso à lista de pertences que foram recolhidos, identificados, selados pelas autoridades e posteriormente entregues aos advogados. Entre os objetos estão malas, equipamentos informáticos e joias.

Segundo o site brasileiro, trata-se de 19 itens e nenhum deles foi identificado como pertencente ao copiloto Tarciso Pessoa Viana. A maior parte dos artigos pertenciam a Marília Mendonça.

Da cantora foi recolhida uma carteira da marca Louis Vuitton com documentos pessoais, cartões de crédito, dinheiro, cartão de vacina e um orçamento cirúrgico; maquilhagem; um necessaire com joias e bijuteria; uma bolsa com vários óculos; uma mochila da marca Gucci com objetos de uso pessoal; uma bolsa com itens de higiene pessoal; um Iphone, um Ipad com uma avaria, uma caneta pencil, um relógio de pulso, fones da Apple, dois carregadores, um cabo para notebook com avarias e duas bolsas, uma da marca Avon e outra da marca Prada.

Do produtor, Henrique Ribeiro, foi recolhida uma mochila com diversos objetos pessoais, uma carteira com documentos pessoais, dinheiro, cartões bancários, crachá, chave de carro, um pen drive, uma bateria externa, um rádio e um notebook da HP partido.

Do piloto, Geraldo Medeiros Júnior, foi recolhida uma carteira com documentos pessoais dinheiro, cartões, um molho de chaves e a chave de um Jeep.

Do tio da artista, Abicieli Silveira Dias Filho, foram recolhidos dois crachás.

Por identificar ficou uma bolsa preta, um livro de diário de bordo da aeronave preenchido até à página 41, dois livros de diário de bordo em branco, uma pasta da aeronave com manifestos de carga: um tripé; mala azul com roupa e objetos pessoas; mala preta de rodinhas partida, com roupa e objetos pessoais; Bolsa preta com rodinhas partida, com roupa e objetos pessoais e uma mala bege da marca Sestine, partida, com roupa e objetos pessoais.