Internacional

Encontradas oito pessoas mortas ao largo da ilha Gran Canária

Foram ainda levadas de helicóptero para o hospital três migrantes. 


Sete pessoas foram, este sábado, encontradas mortas a bordo de uma embarcação naufragada ao largo da ilha Gran Canária, em Espanha, tendo uma outra morrido depois de chegar a terra, informaram este domingo os serviços de de resgate espanhóis.

Os 62 ocupantes da embarcação andaram à deriva durante, pelo menos uma semana, indica a agência France Presse, sendo que desses, três foram transportados para o hospital de helicóptero e outros hospitalizados depois de chegarem ao porto de Arguineguín, na Gran Canária.

A rota da África Ocidental, que atravessa o oceano Atlântico e a costa oeste de África até às Canárias, é conhecida pela sua perigosidade, devido às fortes correntes marítimas. Mas nem este fator demove os migrantes, sobretudo aqueles provenientes da África subsariana, e que pretendem chegar a território europeu. A maioria deles vem em embarcações precárias e sobrelotadas.

Desde o início deste ano, pelo menos 887 migrantes morreram, 60 crianças, ao tentar fazer a travessia marítima até âs Canárias. De acordo com a Organização Internacional para as Migrações (OMI), este número representa mais do dobro daquilo que foi registado em 2020. 

Já segundo a organização Martitime Savage, 242 migrantes foram resgatados ao largo das ilhas Canárias a bordo de cinco barcos diferentes, entre sexta-feira à noite e a madrugada de sábado. Os ocupantes, se origem magrebina e da África subsariana, foram resgatados em diferentes locais e encaminhados para vários pontos das ilhas Canárias.

De acordo com os últimos dados do Ministério do Interior espanhol, pelos menos 14.720 migrantes chegaram de forma irregulas às ilhas Canárias, entre dia 1 de janeiro e 15 de outubro.